O PESO QUE VOCÊ COME, ESTÁ NA EMBALAGEM QUE CONSOME...

Modalidade: INSTALAÇÃO
Artista: PAULLA BOMFIM
Fotos: FELIPE BOMFIM


O homem produz milhões de toneladas de produtos plásticos, derivados do petróleo, sendo que em grande parte após o uso, esses objetos ou vão encher os lixões dos aterros ou parar na natureza afetando a biodiversidade de rios e mares, sendo que o plástico leva em torno de quatrocentos anos para se decompor.

Acredita-se que 90% do lixo flutuante dos oceanos e rios é composto de plástico.
No Mar Mediterrâneo, considerado o mais poluído do planeta, cada quilômetro contém cerca de duas mil peças de plástico flutuante. Esses detritos têm efeito trágico sobre a vida animal.
De acordo com o Programa Ambiental da ONU, os entulhos plásticos são responsáveis anualmente pela morte de mais de um milhão de pássaros e de cem mil mamíferos marinhos como baleias, focas, leões marinhos e tartarugas.

Além disso, o plástico é engolido pelos peixes, e as vezes ficam presos nos animais marinhos , criando anomalias. O que vai para a natureza acaba retornando ao homem por meio da alimentação.

A instalação caracteriza-se como uma iniciativa que envolve arte, ecologia e educação, buscando elevar o nível de consciência social, e levantar questões instigantes sobre comportamento social e ambiental.


FOTO: FELIPE BOMFIM


FOTO: FELIPE BOMFIM

FOTO: FELIPE BOMFIM
FOTO: FELIPE BOMFIM

VENDIDOS!

MULHER PLANTADA

Modalidade: INSTALAÇÃO
Ano: 2010
Artista: PAULLA BOMFIM
Participou da exposição JORNADA ECOLÓGICA MOVE ARTE,que foi 
parte integrante da 37º JORNADA INTERNACIONAL DE CINEMA.

AUTO RETRATO




















TRADUZIR-SE

Uma parte de mim
é todo mundo:
outra parte é ninguém:
fundo sem fundo.

uma parte de mim

é multidão:
outra parte estranheza
e solidão.

Uma parte de mim

pesa, pondera:
outra parte
delira.

Uma parte de mim

é permanente:
outra parte
se sabe de repente.

Uma parte de mim

é só vertigem:
outra parte,
linguagem.

Traduzir-se uma parte

na outra parte
- que é uma questão
de vida ou morte -
será arte?

Ferreira Gullar


O TRISTE FIM DAS CARTAS DE AMOR

A instalação O Triste Fim das Cartas de Amor, baseia-se na mensagem de ruptura através de e-mail, do escritor francês Grégorie Bouilliez para a artista contemporânea francesa Sophie Calle.
A mensagem Prénez Soin de Vous (Cuide de Você ), serviu como matéria prima para Sophie realizar exposições, a qual expressava uma dor que não era só sua, uma dor universal, a dor da perda, do rompimento inesperado das relações amorosas.
Ao visitar a exposição de Sophie passei a refletir sobre a relação entre ARTE e VIDA, relações essas, que misturam ficção e realidade, criador e criatura.
E ao expor a própria vida como espetáculo, a nos falar de vulnerabilidade, confundindo-se com o objeto de seu discurso artístico, Sophie não faz mais do que inscrever a sua produção no gênero autobiografia.

A instalação O Triste Fim das Cartas de Amor é uma reflexão pessoal sobre o que é mais importante: as palavras ou as ações?
Concluo que ações, valem muito mais do que palavras ditas e esquecidas com o tempo,e  portanto para mim, esse seria o grande e triste fim das cartas de amor, e das palavras ditas sem sentimento:
um mero papel de merda.
Paulla Bomfim (Artista Visual)































PLASTICROMIA

A instalação passeia entre a pintura ( lightpaint- pintura com luzes), e a escultura, compondo módulos coloridos que se expressam em inúmeras relações composicionais.Possibilitam expressar sentimentos e idéias utilizando-se o que é descartado pela sociedade , não se restringindo apenas na ampliação de símbolos e signos visuais que compõe as artes plásticas, sendo um elemento universal, se insere e estabelece uma relação estética na linguagem contemporânea da expressão artística onde a liberdade de experimentações e de elementos que estimulem e agucem a sensibilidade, a perquirição, a imaginação é primordial garantindo assim um apelo sócio-ambiental.
  
Paulla Bomfim (Artista Visual).






















"O plástico é uma mensagem direta a nossa capacidade de ver. Nele se concentram a organicidade da mensagem, sua originalidade, seu consequente poder expressional.Por seu intermédio, a mensagem alcança,em cheio e em profundidade, o espectador, e continua a ocupar-lhe a mente e a provocar-lhe interesse, em contatos sucessivos.
Amplia-lhe, sobremodo, a sensibilidade. Imprime à mensagem, uma dimensão interior ilimitada. Muito além do meramente semântico, o plástico abre perspectivas à imaginação e à retenção.Os aspectos estéticos da mensagem, conseqüentes da força do plástico, em sua organicidade e originalidade, fazem, em primeiro lugar, ver; em oportunidades subseqüentes, descobrir coisas novas, a acrescentar; finalmente, reter e desdobrar a própria mensagem.Que poderosa influência a arte opera em nós! Ensina-nos a  sentir e a ver o que nós nunca veríamos e talvez não vejamos, se nos abandonarmos a nós mesmos, nós que não somos artistas” 

Bernard Berenson (filósofo)